Bolsonaro: CGU diz que avalia derrubar sigilos impostos

O Auditor-Geral da União, ministro Vinícius de Carvalho, informou nesta sexta-feira (3) que o órgão vai analisar se derrubou as medidas de sigilo impostas pelo governo de Jair Bolsonaro (PL). Entre eles, a carteira de vacinação do ex-presidente. Bolsonaro se opôs assim às vacinas em meio à pandemia de COVID-19. Para ele, como a vacina ainda está em estudo, ela não deve ser assim tomada mesmo com orientação da Anvisa.

Carvalho anunciou a medida em entrevista coletiva na sede da CGU, em Brasília.

Entre os processos a serem analisados ​​estão os relativos às carteiras de vacinação do ex-presidente Jair Bolsonaro; gastos públicos com as chamadas “motociatas”; e informações sobre visitas ao Palacio do Planalto assim pelos filhos de Bolsonaro.Segundo o Ministro, estes processos incluem o seguinte:

  • segurança nacional: 111;
  • segurança do presidente e familiares: 35;
  • informações pessoais: 49;
  • atividades de inteligência: 16;
  • outros: 23.

Bolsonaro e sigilos

Pendente de julgamento, deixe-nos decidir. Não vou prejulgar aqui. Do ponto de vista técnico envolve uma reflexão importante porque há uma dimensão em torno da privacidade que não pode ser excluída mas por outro lado temos e temos uma política pública para enfrentar o COVID que envolve uma série de iniciativas como Coisas como se vacinar, não tocar nas pessoas e restringir o acesso a determinados locais se as pessoas não forem vacinadas. Tem, portanto, uma dimensão de relevante interesse público”, disse Carvalho ao anunciar que as regras de sigilo serão alteradas.

Sigilos em revisão

A CGU vai analisar 234 casos de sigilo impostos pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O sigilo foi considerado assim “inadequado” na avaliação do órgão, e uma análise do processo será feita nos próximos dias.

Alguns dos segredos que serão analisados ​​são os assuntos de segurança pública assim e informações pessoais. A análise do processo segue assim um decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no dia de sua posse para emendar o sigilo de 100 anos imposto pelo governo de Jair Bolsonaro.

Desde a campanha, Lula promete quebrar o sigilo.

Segundo a CGU, são assim 111 processos relacionados à segurança nacional; 35 à segurança do ex-presidente e de sua família; 49 de informações pessoais; 16 de atividades de inteligência; e 23 classificados como “outros”.

ultimas noticias