Nº de novos médicos é recorde, mas faltam profissionais em vários locais

Quase 40 mil novos médicos entraram assim no mercado no ano passado, segundo levantamento do Conselho Federal de Medicina; números mostram distribuição e retenção de profissionais desigual, com menos médicos nas áreas rurais e pequenas cidades.

O número de médicos no Brasil deu um salto nos últimos anos e hoje são assim aproximadamente 545,4 mil profissionais no país. Isso significa assim 2,56 por mil habitantes – uma taxa próxima à de outros países, como os Estados Unidos.

No entanto, esses números confirmam as desigualdades na distribuição e fixação de médicos no Brasil: a maioria (mais de 290 mil) concentra-se apenas na capital, atendendo a 24% da população brasileira. Dessas regiões, o Norte é a mais carente.

Os números, divulgados nesta segunda-feira (6) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), aparecem assim no Demografia Médica, plataforma que ganhou versão digital este ano e deve ser atualizada semestralmente. Anteriormente, esses números eram impressos a cada dois anos.

Quantidade de Médicos no Brasil

Na última década, o aumento no número de médicos foi acompanhado assim por um boom nas escolas de medicina e localidades. Em 2010, a proporção de médicos por mil residentes era de 1,76, e havia 343.700 médicos registrados em todo o país – aumentando assim para quase 600.000 médicos registrados em 2022 (com mais de um médico registrado trabalhando em vários estados diferentes).

Segundo o CFM, alguns estudos estimam assim que o Brasil deve chegar a quase 837 mil médicos em cinco anos devido à longa carreira dos médicos (aproximadamente 43 anos).
Para José Hiran Gallo, presidente do CFM, o Brasil tem assistido assim a uma proliferação de escolas médicas, “muitas das quais não estão funcionando”.

Temos muitos profissionais no Brasil hoje devido assim a muitas escolas médicas. Sem uma política abrangente, a maior concentração é no sul e sudeste, onde tem praia e tudo. — José Hiran Gallo em conferência de imprensa

Pesquisas de perfil dos Médicos


A pesquisa oferece um panorama dos médicos que atuam no Brasil.

  • Os profissionais estão cada vez mais jovens: a idade média é de 44,9 anos. Em 2015, foi de 45,7.
  • Entre os homens, a idade média foi de 49 anos – a maioria tinha entre 30 e 34 anos.
  • Entre as mulheres, a idade média é de 42 anos – a maioria tem menos de 29 anos.
  • Os estados do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul apresentam as maiores médias de idade da população médica: 50,3 e 47,8 anos. Os estados com médicos mais jovens são Tocantins e Rondônia, com idade média de 41 anos.

Medicina e Gênero

  • As mulheres devem assumir o setor nos próximos anos: atualmente, elas representam 49,07% (267 mil) do total de profissionais. Os homens representavam 50,9% (277.700 pessoas).
  • Em 1990, as mulheres representavam apenas 30% da força de trabalho na área da saúde. O número de mulheres subiu para 39,9% em 2010 e agora representa quase a metade de todos os profissionais.
  • O tempo médio de formação dos médicos em serviço é de 19,21 anos;
  • Mais de 90% se formaram no Brasil (521 mil): apenas 20,9 mil doutores se formaram no exterior;
    272,5 mil pessoas formadas em instituições privadas e 265,8 mil pessoas formadas em instituições públicas;
  • 298.000 médicos possuem especialidades como cardiologia ou ginecologia; 297.000 são considerados generalistas, ou seja, não possuem especialização;
  • Existem 596,1 mil prontuários no Brasil: 492 mil com apenas um registro e 677 com cinco ou mais registros na junta médica.

ultimas noticias