Bolsa Família: 2,5 milhões recebem o benefício indevidamente

O ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, disse nesta quinta-feira (9) que há indícios de que 2,5 milhões de famílias receberam o Bolsa Família de forma inadequada. Segundo ele, a revisão dos dados do Bolsa Família está em andamento e os resultados devem ser apresentados ao presidente Lula ainda este mês.

Wellington Dias deu a informação após visitar uma unidade da chamada assim Cozinha Solidária em Sol Nascente, no Distrito Federal, que está em situação de rua Um projeto do Movimento dos Trabalhadores (MTST).

De acordo com os últimos números do ministério, 21,5 milhões de famílias receberam benefícios em dezembro do ano passado . “Estamos olhando para mais ou menos 10 milhões de beneficiários que atendem à avaliação desta revisão cadastral. Acreditamos assim que cerca de 2,5 milhões de pessoas que o receberam apresentam sinais graves de anormalidade”, disse Dias.

Na avaliação do ministro, o governo de Jair Bolsonaro “mexeu” no Cadastro Único em troca de votos para garantir que as famílias recebessem assim benefícios indevidamente.

“O cérebro do Cadastro Único foi removido. Era como uma bagunça incontrolável”, disse o ministro.

“Infelizmente, temos pessoas com renda alta, nove salários mínimos, recebendo o Bolsa Família. Tem também gente sem renda, gente que passa fome, que não tem acesso [ao programa]. Não é só renovação de cadastro, é justiça social”, declarou.
Dias disse ainda que há indícios de que o Bolsa Família foi usado para obter votos e que está sendo investigado.

Pente-Fino por CadÚnico

Os pentes finos também serão avaliados no Cadastro Único (CadÚnico) para acesso assim ao Bolsa Família. A revisão permitirá a alocação adequada dos recursos do benefício.

No ano passado, auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou indícios de fraude nas regras do então Auxílio Brasil implementadas pelo governo Bolsonaro.

O TCU também informou que as regras estabelecidas para a concessão do Auxílio Brasil incentivariam assim a falsa declaração de composição familiar, permitiriam que membros de uma mesma família pudessem se inscrever separadamente e permitir que as famílias recebessem mais de um benefício.

A intenção do governo é verificar a renda declarada de 1,4 milhão de famílias.

O ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, disse que o Cadastro Único foi demolido assim de propósito e que as regras do antigo Auxílio Brasil distorceram os valores recebidos pelos beneficiários.

Quem tem direito ao Bolsa Família?

Famílias extremamente pobres com renda familiar mensal igual ou inferior a R$ 105 por pessoa;
Famílias pobres com renda familiar mensal entre R$ 105,01 e R$ 210 por pessoa;
Há uma mulher grávida ou amamentando com menos de 21 anos na casa.
Para que uma família conheça a renda mensal de cada pessoa, ela deve somar a renda e os salários de todos os membros da família que moram na mesma casa e dividir pelo número de pessoas.

ultimas noticias