Governo vai lançar em março cartão que unifica benefícios

O ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, anunciou na última segunda-feira (6) as projeções de um cartão que será lançado em março, trazendo ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) benefícios e vantagens sociais unidos. O documento, até então conhecido como cartão do beneficiário, agregará direitos já existentes e hoje unificados, como a gratuidade de ônibus e metrô, com novas vantagens que virão, como passagens aéreas e descontos em farmácias.

“Trata-se de um cartão com código QR que será entregue a 37,5 milhões de pensionistas em todo o Brasil. Os beneficiários poderão pegar o metrô do Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará. Ou pegar o ônibus. O cartão será distribuído nacional Tem abrangência efetiva, nem todo local está autorizado”, explicou o ministro.

Quem terá direito ao Cartão Universal de Benefícios?

Este cartão é diferente do cartão de cidadania. Ao mesmo tempo em que traz benefícios sociais e trabalhistas, o cartão de beneficiário deve unificar os benefícios e vantagens atualmente administrados por municípios, estados e empresas.

Assim, em vez de ter vários cartões de benefícios, todos os inscritos no Seguro Social terão um cartão para obter esses bilhetes gratuitos e outros benefícios. Além das possibilidades já citadas, o ministro também citou opções como ingressos grátis ou bons descontos em cinemas e teatros, além de descontos em hotéis.

O projeto está sendo desenvolvido em conjunto com a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, mas o governo garantiu que bancos privados também serão convidados a cooperar.

Quem terá direito?

Segundo o governo, todos os inscritos na previdência, como aposentados e pensionistas, terão direito ao cartão. A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil trabalharam com o governo para desenvolver o cartão. Lupi disse ainda que os bancos privados também poderão participar.

“Queremos avançar para março (com BB e Caixa) e depois vamos para os bancos privados. Isso cria dois paradigmas de bancos públicos que são muito fortes nesse espaço (social), então os bancos privados podem fazer o mesmo”, Ele disse.

Também foi informado que serão buscadas parcerias para que o cartão beneficiário ofereça descontos em farmácias, hotéis e passagens aéreas, além de ingressos de cinema e shows.

Revisão da reforma

Carlos Lupi também aproveitou para propor “ajustes” na reforma da Previdência proposta por Michel Temer e aprovada por Jair Bolsonaro.

O secretário da Previdência criticou alguns pontos do texto quando assumiu o cargo em janeiro, como a idade mínima de aposentadoria para mulheres. Ele até negou que houvesse um déficit previdenciário.

“Expresso minha opinião pessoal e tenho direitos como cidadão. Neste momento, não tenho competência para baixar decretos pelo Congresso Nacional. Podemos fazer propostas, temos a Comissão de Previdência Social, que vem trabalhando nisso questão desde antes de eu chegar ao ministério”, disse Lupi.

ultimas noticias