Bolsonaro diz que vai voltar ao Brasil nas próximas semanas

Na noite deste sábado (11), o ex-presidente da República Jair Bolsonaro participou de evento realizado na Igreja Evangélica All Nations, em Boca Raton, na Flórida, EUA. O ex-deputado disse em seu discurso que sua “missão não acabou” e que pretende voltar ao Brasil “nas próximas semanas”.

— Estou muito satisfeito com a forma como vocês me tratam em qualquer parte do mundo. Isso não tem preço. Ainda mais para aqueles que, pelo menos antes do TSE, não conseguiram se reeleger – disse Bolsonaro, ouvindo vaias da plateia contra o Tribunal Superior Eleitoral.

Bolsonaro também disse que queria trabalhar com a direita brasileira

“Atualmente não temos liderança da direita do país. Temos regiões. Essas pessoas estão crescendo. Voltaremos mais fortes. Voltaremos. Nossa missão não é apenas expandir, de fato, um grande país … Olhe para Israel Não há nada, olhe o que eles têm, olhe o que nós temos, o que não temos.

Ele não se solidarizou com os Yanomami, dizendo apenas que a terra indígena era alvo de “muitos interesses” por causa dos ricos recursos naturais sob a terra indígena no estado de Roraima. A crise humanitária na região se agravou no governo Bolsonaro, que tem sido criticado por conluio com garimpo e desmatamento em Roraima.

— Eu vim para um país que sempre admirei, a América. Um país apenas 1 milhão de quilômetros quadrados maior que o nosso próprio Brasil. Mas se compararmos o Brasil com a Rússia, ninguém tem o que nós temos. Em Roraima, há uma tabela periódica dos elementos no subsolo. E essa questão Yanomami… Agora, não é nossa intenção mexer nisso porque é confuso: 40% da terra Yanomami está no Brasil e 60% está na Venezuela. Uma região aurífera e de riquezas imensuráveis ​​- disse o político, sem deixar claro quem deve e quem não deve ser ajudado.

O ex-presidente viajou aos Estados Unidos no penúltimo dia de mandato após uma derrota inédita na tentativa de disputar a reeleição em 2022. No entanto, Bolsonaro pretende voltar ao Brasil e se posicionar como a principal liderança da direita e da direita. Contra o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Mesmo no exterior, apoiou seu ex-ministro, o senador Rogério Mariño (PL), em uma tentativa frustrada de concorrer à presidência do Senado no início deste mês. O senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) foi reeleito com 49 votos favoráveis, de um total de 81.

As alegações do ex presidente

O ex-presidente também disse: “Não importa o que me aconteça aqui ou no Brasil, ou como aconteceu”. processos contra Bolsonaro ao tribunal de primeira instância por perda de jurisdição de Bolsonaro devido a seus privilégios funcionais.

Ainda no meio de seu discurso, Bolsonaro comentou sobre as ações do dia 8 de janeiro que levaram à prisão de cerca de 1.400 pessoas, das quais 916 permanecem no sistema prisional do Distrito Federal. Ele disse discordar da invasão e saque da sede dos Três Poderes, mas que “a grande maioria [dos presos] não cometeu nenhum crime e o que aconteceu com essas pessoas não é justo”.

ultimas noticias