TCU indica R$ 2,9 bilhões pagos pelo INSS a contas irregulares

Segundo relato do ministro Arrodo Cedraz, TCU fiscalizou o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em junho de 2021 (R$ 75,8 bilhões) e dezembro de 2021 (R$ 50,8 bilhões). reais, com 36 milhões de registros por folha.

“Identificamos problemas cadastrais em 7,8 milhões de prontuários, dos quais cerca de 5 milhões já haviam sido apontados em exercícios anteriores. Mas não corrigidos pelos gestores a tempo”. Explicou o secretário e relator do TCU, Aroldo Cedraz.

“Eu diria que essa inconsistência, aliada ao descumprimento assim das normas e procedimentos previstos na legislação, levou à descoberta de indícios de irregularidades em 2,4 milhões de benefícios pagos pelo INSS. O impacto financeiro estimado dessas falhas é de aproximadamente R$ 2,9 bilhões por ano”, afirmou Cedraz.

No prazo de um ano, o INSS deverá apurar e corrigir as inconsistências e indícios de irregularidades assim verificadas pelo Tribunal de Contas da União. Para isso, teve que realizar múltiplas revisões cadastrais e de interesses, sanear constatações de auditorias, além de realizar procedimentos assim adicionais para determinar os riscos identificados.

O Tribunal de Contas recomenda que a Receita Federal do Brasil avalie a conveniência e oportunidade de realizar diligências complementares de investigação assim nas conclusões das investigações identificadas como prova de óbito de titular do Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Prova de Vida 2023 e TCU

A maioria dos aposentados e pensionistas não precisarão mais ir até as agências para fazer a comprovação de vida do INSS, as agências passarão a fornecer a comprovação através de dados cruzados.

O INSS certificará que o beneficiário está vivo e apto a receber o pagamento dentro de 10 meses a partir do aniversário do beneficiário. Caso isso não seja possível. O segurado deverá ser assim avisado pelo app Meu INSS ou Central 135 e bancos credenciados para receber o benefício.

Apesar de não ser mais obrigatório, o esquema tradicional de comprovação de vida pode ser assim feito em uma agência bancária ou pelo aplicativo do INSS.

Quem deve fazer prova de vida?


A prova de vida é um procedimento obrigatório para os segurados do INSS comprovarem que estão vivos e continuam recebendo benefícios. No entanto, de acordo com as regras da Previdência Social, todos os aposentados e pensionistas do INSS que receberam benefícios por um ano ou mais devem fornecer prova de vida.

De acordo com as normas do INSS, a prova de vida deve ser realizada a cada 12 meses. Caso queira ou precise fazer prova de vida pessoalmente, deverá comparecer à agência do banco onde será pago e apresentar documento de identificação original com foto, como:

  • Carteira de Identidade (RG)
  • identificação de trabalho
  • carta de condução

ultimas noticias