Imposto de renda 2023: Confira como será a declaração

A Receita Federal do Brasil fixou a data de entrega das declarações de imposto de renda para 2023: 15 de março a 31 de maio. Informações como quantos brasileiros devem declarar o IRPF ainda não foram divulgadas, mas as empresas têm até o dia 28 de fevereiro para enviar relatórios de rendimentos aos seus funcionários.

Assim, com as entregas atrasadas, uma inovação deste ano é que a partir do período de entrega, todos os contribuintes podem usufruir da opção ‘pre-preenchimento da declaração’ – o cidadão pode começar a preencher a declaração com alguma informação já de que dispõe, o contribuinte só precisa revisar e complementar os dados para fazer uma determinação final.

Para não esperar até a última hora, o contribuinte pode se preparar com antecedência e separar os principais documentos necessários para o depósito. A seguir, Tiago Slavov, professor de contabilidade da Fundação Álvares Penteado para Escolas de Negócios (FECAP), traça os principais pontos dessa preparação.

Dicas para não errar no Imposto de renda

Todos os anos surgem muitas dúvidas sobre o processo, principalmente para quem está declarando o imposto de renda pela primeira vez.

Para quem tem baixa renda e patrimônio, a declaração do IR pode levar alguns minutos, ou muitas horas, dependendo do patrimônio do contribuinte. A principal dica para evitar falsas declarações é ter cuidado com a obtenção de todos os documentos e informações, mesmo que sejam digitais.

“Os documentos mais importantes são relatórios de rendimentos recebidos de empregadores, prestadores de serviços, ex-empregadores que se desligaram da empresa no ano anterior, relatórios do INSS para aposentados e aluguéis recebidos. Relatórios de rendimentos bancários também estão facilmente disponíveis através do acesso aos serviços digitais do banco”, Slavov explicou.

Os principais arquivos são:

  • Última declaração de imposto de renda pessoal
  • Relatórios de Renda – Salários, Despesas, Notas Fiscais, Aposentadoria, Auxílio Emergencial, etc.
  • Rendimentos de pessoas físicas – pensão, aluguel, livro caixa, etc.
  • Relatórios de Receitas Financeiras e Dívidas – Contas, Aplicações, Segurança Social, Empréstimos, etc.
  • dependência e alimentação
  • Bens e Direitos – Saldos de ativos, documentos imobiliários, criptomoedas, etc.
  • Honorários médicos
  • despesas com educação
  • doação
  • pagamento de pensão
  • Outros rendimentos (bolsas de estudo, mais-valias, heranças, acordos judiciais, repatriamento de IR anterior, etc.)
  • Outros pagamentos (advogados, engenheiros, autônomos, aluguel pago, etc.)

ultimas noticias